GRUPO DO MIT ESTUDA ALTERNATIVAS DE REASSENTAMENTO E MORADIA NO PROSAMIM

Equipe do MIT acompanha apresentação sobre o PROSAMIM
Equipe do MIT acompanha apresentação sobre o PROSAMIM

No dia 20 de julhou gestores e técnicos do Programa Social e Ambiental de Manaus (PROSAMIM) repassaram informações sobre as intervenções de obras e ações sociais que tem sido realizadas pelo Programa,em Manaus,ao grupo de visitantes do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT).

Os pesquisadores do MIT, Vasco Portugal, Layla Shaikley e Caled Harper fazem parte do  Grupo Especial de Interesse em Assentamento Urbano (SIGUS), do MIT, que trabalha desenvolvendo  projetos de habitação para as Nações Unidas. O SIGUS, segundo Vasco Portugal,  avalia  projetos já existentes para,posteriormente, ajudar a desenvolver novos locais ainda  subdesenvolvidos. “Fazemos avaliação de  projetos em andamento,bem como de  propostas de novos projetos até a fase posterior a  implementação”, explicou o PhD em Sistemas Sustentáveis.

Vasco Portugal esclareceu que as informações captadas junto ao PROSAMIM serão utilizadas para apresentação do Programa, no  mês de setembro, em Nápoles (Itália), durante o UN-Habitat, World Urban Forum 6, que é um evento das Nações Unidas, voltado para habitação. “Queremos mostrar a implementação do PROSAMIM, falar da  aceitação do Programa e das perspectivas futuras”, informou ele.

No 6º Fórum Urbano Mundial, do UN Habitar,estarão presentes  organizações e  governos de diferentes  países. Caleb Harper, que é mestre em Arquitetura e Desenvolvimento, disse que entre os organismos internacionais que devem prestigiar o evento estão o Banco Mundial; o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID);  a Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA),que é o órgão do Governo Japonês, responsável pela implementação da Assistência Oficial para o Desenvolvimento (ODA) que apóia o crescimento e a estabilidade socioeconômica dos países em desenvolvimento com o objetivo de contribuir para a paz e o desenvolvimento da sociedade internacional. Também devem estar presentes, conforme Caleb, representantes de países desenvolvidos, em desenvolvimento e de  países abalados por desastres naturais.

Durante reunião com representantes do PROSAMIM,os pesquisadores do MIT informaram que Já trabalharam em programas na África, em 2011; estiveram também  na cidade de Natori, no  Japão, que foi abalada pelo tsunami. Lá, deixaram proposta para reabitação desta área, que integra a província japonesa de Myiagi.

Os pesquisadores tem experiência também em Buenos Aires,com trabalhos voltados para uma  vila carente conhecida como  Los Piletones, onde trabalham proposta para  incorporar os assentamentos espontâneos (áreas sem urbanização legal,e com o parcelamento do solo  descontrolado) à cidade formal.

Ainda na sexta-feira, 20, os visitantes participaram de reunião com professores e alunos da área do curso de  Arquitetura da Universidade Luterana (ULBRA) e depois de encontro com representantes da comunidade beneficiada pelo PROSAMIM e que ocupa as unidades habitacionais do primeiro conjunto construído pelo Programa – o Parque Residencial Manaus.

“Estamos bastante interessados na etapa de reassentamento de pessoas, que saíram de casas precárias para novas habitações. Queremos verificar a aceitação, saber se gostaram, e se o modelo implementado realmente funcionou ou precisa de adaptação”, observou Vasco Portugal.

O especialista em Sistemas Sustentáveis disse também que o grupo quer  estudar opções de moradia para  pessoas com mais de cinco membros na família; e  analisar qual melhor alternativa para evitar que sejam criados vários modelos diferenciados de habitação.

O coordenador do PROSAMIM,Frank Lima, solicitou à equipe do Programa que entregasse todo material necessário para o estudo dos especialistas. “Estas visitas de pessoas do exterior  mostram o reconhecimento internacional que o Programa já está tendo, especialmente pelo trabalho social que desenvolve”, comemorou ele.